sábado, 9 de janeiro de 2010

Buscando Pô!, Emas

                                       
Bisavó branca dos olhos azuis
Avô branco queimado do sol
Filha parda casou com negão
Nasceu a bisneta, a neta, a filha
Eu, o resultado da contramão.
E de preto a família não gosta não.


                                                                               Dica.

25 comentários:

  1. Mais uma vez me traz pra cá.
    Dessa vez com direito a fotografia..

    Adoro surpresas, precisava estar aqui pra ver meu sorriso.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Forro com carinho, a vereda de nossa relação.
    Ficar de mal com poetas dá mais azar do que não mandar aquelas correntes que rolam na net...
    É bom termos mais que as razões corriquerias para entrar na net..., fazer surpresa a quem se admira é uma delas.
    Abrçs.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, já nos vimos por aqui.
    Bela combinação! Dica, trocadilho inteligente no título do blog um quem sou eu com seu real propósito: O auto-conhecimento.

    Abraço. E muito obrigado pela crítica altamente construtiva no meu blog.

    ResponderExcluir
  4. Nem sempre a contramão é o pior caminho.

    Gostei
    =*

    ResponderExcluir
  5. Felipinos, felipense, felino, legal o nome né?
    Coisa de poeta enrustido...

    ResponderExcluir
  6. Serei óbvio: às vezes, é o único!
    Bjs minha querida.

    ResponderExcluir
  7. Singelo e faceiro! Um retrato, um resultado, uma visão ou um ponto de vista?

    Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  8. sylvio,

    sensacional! tanto aqui quanto a DICA.


    você é um cara bacana!

    grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Daarcy Ribeiro iria amar o poema, ele, que tanto falava do bendito caldeirão racial brasileiro.
    Somos uma síntese da humanidade e pode acreditar, que os gringos morrem de medo dessa flexibilidade do nosso DNA, que sòmente estudiosos alcançam com a importância que merece.
    Quer saber?
    Eu. Sangues: portugues, espanhol, árabe, caboclo, mulato e sendo mulato, negro é.
    (Lembrando da música "As Tres Graças" dos Novos Baianos- que se referia às 3 raças que basicamente compõem com misturas outras a raça brasileira).
    QUANDO É QUE ESTE POVO VAI ENTENDER A FORÇA QUE ISSO TEM?
    Leiam "O Povo Brasileiro" e se orgulharão , promovendo uma estima que não se deve dar apenas no tal do futebol.
    1 abraço e desculpe ter me alongado no comentário.

    ResponderExcluir
  10. Oi Sylvio!!

    Primeiro..mesmo que atrasadinho, um 2010 M- A - R - A - V - I - L -H - O - S - O !! pra ti...

    Estes dias entrei aqui para comentar em um dos teus posts no "Existirá uma Hora"...escrevi, escrevi, e as linhas não entraram...rs Escrevi de novo e necas e pitibiribas, nada apareceu, aí fiquei muito P e fui embora rsrsrs...
    Mas eu apareci de novo e to aqui pra te deixar um beijão!


    P.S:Será que é pq eu fui muito longa no assunto? vai saber né? de vez enquando minha lingua passa para os dedos...rs
    Andrea*

    ResponderExcluir
  11. rerere, todo poetando....
    e a foto, é a Camila?
    manda beijo pro povo todo aí, o colorido e o desbotado.

    ResponderExcluir
  12. Betina, faço de minha casa, sua casa. O seu prazer, é o meu.
    Razão para vir aqui, não lhe faltará, é umas das coisas que desejo: estar em boas companhias.
    Abraço grande.

    ResponderExcluir
  13. Bárbara, alongue-se, prolongue-se: além de suficiente espaço para isso, terá nossa atenção acompanhando-a, sustentando-a.
    O Povo Brasileiro é do Darcy?
    Lê-lo-ei sem mais delongas!
    Abrçs!

    ResponderExcluir
  14. Wall, amore, a foto, e a poesia, é da Dica, aquela mocinha que é um azougue nos contos que produz. Vc a conhece.
    Poetar?..., não tenho essa sensibilidade!
    Abrçs querida!

    ResponderExcluir
  15. Andrea!
    Vc está intimada a voltar e postar de novo!
    Processarei o dono desta bagaça se não entrar o que escrever!
    Rrsrs

    Tudo de bom pra vc também, querida!
    duvido que vc seja 'longa' quando escreve. Duvido!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. Como vai Sylvio?
    Cresci numa terra mesclada. Tenho cinco princesas; morena, mulata, cabrita, branca, branca amorenada. Eu tenho um arco íris. Uma das minhas mães é negra de São Tomé e neta de escravo levado de Angola... e como tudo isso me faz feliz!
    Kandandu sincero

    ResponderExcluir
  17. Grande, Sylvio, grande jogo. As palavras se debatendo tão tranquilas. Um deleite. Muito bom.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  18. volto daqui a pouco. fui buscar meu pc hoje, tavam dando um trato nele...
    Abrçs.

    ResponderExcluir
  19. Kimbanda
    Quem de nós não temos essa mescla?
    Tanto é que, científicamente, brancos e negros puros diminuem ano a ano...
    Kandandu pro cê!

    ResponderExcluir
  20. Wall
    Tem parecença..., mas não exatamente com 'minha' pessoa.
    Bjus, frô!

    ResponderExcluir
  21. Café, tem outras de lá de onde veio essas. Dica realmente é excepcional.
    Não creia que é minha essa poesia.
    Brigado por sua presença.
    Irei visitá-lo, agora.
    Abrçs.

    ResponderExcluir

Atue! Movimente-se! Se expresse! Nem que seja só comentando aqui!