domingo, 21 de março de 2010

Reeleição


Há que se acabar com o direito à reeleição. Ele jamais existiu na história política do país - até queFernando Henrique Cardoso enxergou a oportunidade de governar oito anos ao invés de quatro.
      Foram imaginados todos os argumentos possíveis para justificar a mudança na lei. E votos foram comprados para garantir a mudança. Desde então, quem é eleito para algum cargo executivo começa a trabalhar no dia seguinte para ser reeleito.
      Privilegia, então, mais os acordos políticos e a atração de novos aliados do que a tarefa em si de administrar bem. E acaba derrapando nas concessões à falta de ética para garantir um novo mandato.
      É inteiramente desigual a situação de um governante que pleiteia a reeleição da situação de um candidato que pleiteia se eleger. Um tem a máquina do governo a seu favor. O outro, só o verbo (não confundir com verba).
      Lula sempre disse ser contra a reeleição. Um dos seus legados poderia ser esse: acabar com ela.
      Como o bom exemplo vem de cima, deveria ter a iniciativa de apressar a votação pelo Congresso de um dos inúmeros projetos de lei que existem por lá e que suprimem o direito à reeleição. E deveria desde já dizer que não será candidato novamente.
                                                                       (Ricardo Noblat)


4 comentários:

Atue! Movimente-se! Se expresse! Nem que seja só comentando aqui!