domingo, 9 de maio de 2010

Eu Vejo você

Em várias histórias de ficção científica nos encontramos com situações em que entramos em contato com o conceito de ‘mundos vivos’. Considero muito estranho que não possamos perceber o quanto é verdadeiro este conceito e que ele se aplica, em todos os sentidos, ao nosso planeta Mãe.

De imediato, posso afirmar que Avatar foi a segunda vez em que me deparei com a realidade que nos mostra como tudo está interligado. Em outra história (que li), homens descem num planeta só de árvores, elas tomam toda superfície; a idéia era que, por intermédio das raízes, elas criaram interação aonde todas eram um só ser; em outra (história), os seres que habitavam um planeta estavam tão ligados à ele que eram uma coisa só: podiam pensar de modo individual mas estavam, sempre, ligados em uma consciência da qual o próprio planeta, como uma matéria viva, fazia parte. Interessante...!

Fico pensando: o que se pode fazer para que a idéia da Unidade que formamos (nós e nosso planeta), se transforme em realidade; que realmente venhamos a ver a Terra como Mãe, e que isso não seja considerado uma uma loucura, uma infantilidade.

Confesso: a idéia de ‘união’, seja ela qual for, é benéfica. Talvez, o simples fato de ‘gostarmos’ da idéia, de ‘desejarmos’ que a Vida floresça sem empecilhos, e de ‘querermos’ que assim seja, quem sabe essa idéia se torne uma força palpável, mais real num plano ‘energético' e de atitudes; uma união que possibilite uma ponte para mudanças no pensamento humano de uma forma mais abrangente... De minha parte farei isso: trarei para o consciente esse desejo – o de que: ter consciência do Planeta em que vivemos nos leve a amá-lo e a querê-lo bem.

Uma boa hora para fazermos isso; e um bom dia, já que justamente hoje, é o dia das Mães.



8 comentários:

  1. sylvio! que texto lúcido!

    você está certíssimo!

    avatar foi incrível mesmo e eu acredito de forma definitiva que estamos ligados a cada coisa do planeta, boa e ruim e devemos nos dar conta já!

    gosto quando você escreve, gosto do que você pensa e de como coloca a ideia. gosto de sua ética e das coisas que você defende.

    muito bom o texto e o conceito.

    parabéns por perceber algo tão importante!!!

    um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Há muito leio ficção científica, já estive em contato con estranhas realidades inventadas, criadas, por escritores feríssimas, laureados por Premios Hugo, Nebula.
    Alguns autores são mais filosóficos, outros mais técnicos, outros mais visionários, mas, todos são extremamente criativos.

    Quero dizer com isso que o o filme, o mundo, a história de Avatar não me é estranha.

    Fico feliz em ouvir tudo isso de vc, vindo de algumas pessoas isso tem um significado deveras mais profundo e gratificante.

    Sua sensibilidade , é a minha.

    Eu Vejo você.

    :)

    ResponderExcluir
  3. "Eu vejo você". *-*
    Também fiquei encantada com o seu texto, pois assisti ao filme e me emocionei muito.
    A forma como explorastes a ideia do filme me deixou ainda mais interessada por tal tema, pois é realmente relevante tudo o que você disse.
    Espero que muitas pessoas que assistiram ao filme possam compreender dessa mesma forma.

    Boa semana ♥

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Sylvio...eu sou individualista, não sei se sobreviveria desse modo.

    =\

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  5. Luna
    O que fiz com esse texto foi ratificar um respeito, consideração, e um amor que devemos devotar, oferecer, à Mãe Terra. Isso não fere a sua individualidade, mas, a coloca num contexto muito válido pois, tudo isso (essa conversa), de conexão entre planeta e habitantes, é real.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Dhebora Hevelin
    De uma maneira geral, acho que o pessoal entendeu dessa forma; pois a mensagem do diretor foi bem explícita!
    O filme realmente é encantador!

    Um abraço, querida.

    ResponderExcluir

Atue! Movimente-se! Se expresse! Nem que seja só comentando aqui!