domingo, 1 de agosto de 2010

Cacete! Fiz Uma Cagada!

Na verdade..., fiz 'outra'.
Abri a portinha da gaiola (dois dias aberta), e minha canarinha se fué...

Que bosta viu!
Não por ter aberto a bendita porta, mas por saber que:
1) A porra da canarinha não tinha estrutura pra viver fora dela.
2) Por ser a segunda vez que faço isso!
3) Agora tou aqui, ansioso pela penosinha perdida por aí entre os escuros e frios telhados...
4) Que merda que tenho na cabeça?
5) E agora????
6) Agora tenho mais uma morte pra carregar nas costas... (calma!, maneira dizer, né?)

Pois é... Mó cagada...

Morei com minha mãe na Cincinato Braga, uma rua perto da Av. Paulista (SP - capital); minha mãe tinha um canarinho que cantava pra caraio! Vixi! Uma bolinha amarela que cantava sem parar, tinha várias dobras o canto dele; pois bem, naquela época eu estava passando por uma 'crise psiquiátrica' (hoje miorei muito, tou quase normal!); como nunca gostei de pássaros trancados arquitetei um plano que, quando amadureceu coloquei em pratica: mainha assistindo tv, subreptíciamente fui até a gaiola que ficava nos fundos do apê, peguei a gaiola e abri a portinha:  o bechenho não entendeu nada!, pensou que eu tava querendo dar baixa nele; ficou lá se debatendo enquanto eu tentava soltá-lo com medo de minha mãe ouvir o esporro do canário. Demorou um pouco, mas saindo da gaiola lá se foi o canário..., para a liberdade!, e para o meio dos prédios que nem deixavam ver o céu direito.
De qualquer forma, meu peito se encheu de orgulho pelo trabalho feito! Deus, tinha a certeza, estava contente com seu filho! 
Minha mãe ficou uma vara! Mas, relevou; percebeu a inutilidade de ficar brava... (até hoje, uma sábia mulher!).
Enquanto todas as mulheres de casa (menos minha mãe), me taxavam como burro, eu respondia:
- A  liberdade não tem preço!
E, estóicamente, me sentia por cima da humanidade.
Aquela falação toda me balançou: e se, na verdade, ele não sobrevivesse? E se morresse de fome e sede? E se não encontrasse abrigo? Será que eu tinha feito uma burrada? Será??
Fiz...!
Parece que, no dia seguinte, vi o bicho lá em baixo, nos fios, piando, totalmente perdido... Desci e fui conferir se não tava viajando. Pelo que me consta, não vi o canário; mas a imagem dele do outro lado da rua ficou em minha memória...

Tenho outra triste história de quando era menino e meu tio que ía viajar me pediu pra tomar conta do curió dele (cantava demais!!!): me esqueci de colocar água pra ele... (pensando bem agora, depois de 50 anos, acho que meu tio poderia ter enchido o reservatório com mais água, talvez ele tenha vacilado também). Nem teve tempo de se lamentar do idiota do sobrinho que tinha, desenvolveu uma neflite que o levou em um ou dois meses.

E agora, essa...

Não quero mais ter passarinho. Se tiver, soltarei de novo..., é meu carma colocar a liberdade acima de tudo, menos do Amor, que é a própria liberdade (não perco a mania de falar gurujísticamente...).

26 comentários:

  1. Concordo com você, se preza a liberdade por que prender o bicho?!

    Coloque comidinha na janela que eles aparecem e xô peso na consciencia! :)

    beijão

    ResponderExcluir
  2. Sylvio,

    Tá na cara que tu não tem jeito para cuidar de canários e de curiós...

    Arranja uma piriquita, quem sabe se desta vez tu acerta, né?

    ResponderExcluir
  3. Esquenta não, Sylvio. A intenção foi mais que boa. Abraços e bom domingo!

    ResponderExcluir
  4. Querido, não se aflija. Se acreditamos na pseudointeligência dos ser humano, me parece plausível acreditar na inteligência de um passarinho que tinha escolha. Ele escolheu ir, e, se morrer, ninguém teve culpa. Proferimos apenas que ele morreu no exercício de sua liberdade. E há poesia nesse tipo de morte! rs.

    Beijos meus...

    PS: Peloamordedeus, se arrumar uma piriquita, ACERTE! rs.

    ResponderExcluir
  5. Pois é Patrícia, desisti.
    Aves agora, só assadas!
    :P

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Lobo

    Passarinho solto, só o meu agora, que só sai quando a dona chama e volta direitinho!

    :P

    ResponderExcluir
  7. Marcelo

    A intenção foi, da próxima vez que pegar um bicho pra cuidar darei pra quem tem viveiro; era a minha idéia.
    quando peguei esta canária ela tava caidassa, o dono não cuidava dela.

    Boa semana pra tu.

    ResponderExcluir
  8. Pois é Sawae

    Fiquei pensando nisso: na possibilidade do bichinho se virar (aqui é meio comum passarinhos que fogem pousar em varais de casas esperando que os alimentem).
    A realidade é que as aves são consideradas uns bichos bem burros!

    "E há poesia nesse tipo de morte! rs
    Se eu achar o bechenho falo isso pra ele! rsrsrs

    Valeu sua presença!

    ResponderExcluir
  9. A canarinha vai se virar, pode crer.
    Há braços!!

    ResponderExcluir
  10. Fica assim não, ela vai se arranjar.

    =)

    Eu tenho peixes em aquário sem o menor remorso. oO

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  11. Dum jeito ou de outro, ela vai ficar bem né Mauro: ou tá de barriga cheia, ou, nos braços do Senhor...

    Abração Mauro!

    ResponderExcluir
  12. Luna, peixes não avuam, nem olham pra vc entortando o pescoço...

    :(

    :)

    bjo bjo!

    ResponderExcluir
  13. Acho bom você não mais criar passarinho! Criar passarinho tem uma ciência e aqui na minha rua, os criadores passeiam com suas gaiolas, porque além de favorecer o canto, os passarinhos desestressam com o passeio e gravam o caminho de volta para casa! :) Mas não fique com consciência pesada! Não há mais meninos com estilingues nas ruas! Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  14. Vou tomar providências para que você nunca apareça no perímetro de 40 km da custódia (onde ficam os presos) da minha delegacia no dia do meu plantão.

    : )

    Beijos!

    ResponderExcluir


  15. Andam dizendo que o BRUNO
    (o "urubú" ex goleiro do flamengo) canta muito bem (as gatas), mas por favor não
    passe lá por Minas próximo a Contagem.

    Ah! ah! ah! ah!

    Eles passarão e tu passarinho!

    Abraço-tchê!

    ResponderExcluir
  16. Aff Sylvio que dor me deu no coração,nesses casos não somos culpamos pela falta de liberdade deles,já nasceram em cativeiro por isso não sabem se alimentar sozinhos,ficam sem direção,viram presa fácil para qualquer outro animal.Tmabém não gosto de pássaros na gaiola,gosto de pássaros por isso comprei em primeira mão uma calopsita pois esse tipo de pássaro se adpta muito bem e interage com o dono,amei tanto que comprei mais uma,viviam soltas o dia todo,fiz uma estrutura gigantesca,qualquer dia te mostro as fotos,pois bem a segunda bendita era femea,conclusão criaram,estou simplesmente com nove agora,voando sobre minha cabeça dentro do quarto,são tão carinhosas que me fazem de espantalho,assim que eu chego sobem em mim imagine a cena,amo me divirto,mas já estava deprimida pois não posso ficar com tantos assim e acabei vendendo quatro,como sou sistemática demais disse que só entregaria assim que os benditos estivessem comendo sozinhos pois acho um erro irremediável quem os compra ainda sem empenar e os tratam na papinha pra ficarem mansos,tudo bobagem os meus foram alimentados pelos pais e estão mansos ao quadrado,depende da sua dedicação e carinho,paciencia todo dia para pega-los e dar atenção ao menos um pouquinho.
    Conclusão já estão comendo sozinhos e quarta feira tenho que entrega-los,já estou sofrendo por antecipação e agora sofrendo imaginando sua canarinha...
    Amo muito os animais e por não confiar nas pessoas achando que não vão cuidar direito já estou providenciando um viveiro enorme assim podem criar a vontade pois terei espaço pra quantos filhotes queserem ao mundo vir!!rs...
    Para hein,não compre mais pássaros estes já nasceram sem liberdade entende isso? Mesma coisa uma pessoa que nunca saiu de casa nem sabe tomar onibus sozinha.Acontece o mesmo com os animais de zoologico que muitas vezes não podem ser devolvidos ao habitat natural pois desaprendem a sobreviver.
    Se quiser ter um pássaro opte pela calopsita ou até mesmo um papagaio,se cortar uma das asas eles ficam soltos livremente pela casa,só se preocupe com as janelas ,coloque telas de proteção e pronto!!

    Beijo querido,desculpe mas usei teu post como desabafo da minha dor,quarta está chegando,caraca estou escrevendo e chorando,desculpa tá!

    ResponderExcluir
  17. Voltei,tinha que pedir desculpas pelos erros de digitação,foi a pressa estou trabalho e também pra dizer que cheguei ao ponto de pensar que:
    Liberdade nem sempre é a melhor opção.
    "Ns" casos nos provam isso...
    Beijo meu querido,adorei o post bem descontraído,assim podemos conhece-lo mais um pouco,este seu lado matador de passarinhos!hahaha

    bye bye

    ResponderExcluir
  18. Luma
    Criar pássaros dá trabalho...: a gente não pode viajar, tem que tomar cuidado com a água (principalmente), com o frio, com o vento...
    Vou dar um tempo.

    Abrçs. Luma!

    ResponderExcluir
  19. KKKKKKKK!!!!!!!!!!!

    Mulher, vc é uma graça; apaixonante!
    Dentro e fora de uma delegacia!!!!

    Esses tipos de pássaros que guarda em sus plantões, estão exatamente onde deveriam estar - pelo menos, 95% deles.

    Abrçs!!!!

    ResponderExcluir
  20. TonhO

    Vc e a Mulher na Polícia (conheça-a, vai gostar), tão de implicância comigu!

    :P

    Abrçs ttchê!!

    ResponderExcluir
  21. Sophi

    Minha intenção era arrumar uma gaiolona, tipo um viveiro, mas mudei de casa, moro numa pequena agora.

    Pode mandar as fotos, quem sabe vc esteja numa delas... :)

    'Meu' espaço é nosso, use-o como lhe aprouver; não há o que desculpar.

    Nem houve muitos 'erros de digitção'!

    Liberdade sempre será melhor opção; para nossa mente é trabalho, para nossa alma é alimento.

    Meu lado 'matador', como todos os outros lados, é bem humorado...!
    :)

    ResponderExcluir
  22. PS: volto o mais rápido possível para ler o que perdi. :)

    ResponderExcluir
  23. guru,

    deixa eu te dizer: adorei o texto!
    eu sou suspeita para falar de pássaros na gaiola, já soltei, solto e soltarei, acho um absurdo!
    já libertei peixe de cesto de pescaria... imagina?

    também já matei passarinho em situação parecida, mas o crime foi mais pesado: um casal! "biquinhos de lacre", lindos, eu nos meus 6 anos fiquei no pé de minha tinha gilda até ela me dar o casal. resultado: não imaginei que água e comida fizessem parte do kit ter pássaro... pensando bem, minha mãe poderia ter me avisado...

    sei que pássaros em gaiola ficam perdidos quando livres, mas acho que o gesto vale as mil palavras que te disseram contra a bandeira de liberdade.

    "abre as asas sobre mim..."

    voltei para ler os posts e me atualizar, que não sou boba nem nada...

    beijos!

    ResponderExcluir
  24. Pois é: penso como vc: quem ama, liberta!!!
    Falei também aí em cima: já soltei, solto, e soltarei caso não haja outra opção; eu, prefiro morrer voando (ou, podendo voar)...

    Outro dia libertei um rato que tava dentro de uma caixa numa calçada; afirmar que ratos são seres do capeta é uma grande sacanagem!.
    Será que não podemos ver determinados bichos que já saímos matando???? Ahhh, tenha dó!

    Gosto muito de textos coloquiais.

    Liberdade, abra suas asas sobre nós!

    Bjs Bê!

    ResponderExcluir
  25. Libertar peixe de cesto de pescaria??? É coisa de maluco mesmo!

    Parece eu, também já fiz isso! :P

    ResponderExcluir

Atue! Movimente-se! Se expresse! Nem que seja só comentando aqui!